Em nosso último post (clique AQUI acessá-lo) iniciamos uma análise sobre opções de investimento de baixo risco para R$ 10 mil e prazo de um ano. Pesquisamos os produtos oferecidos por algumas instituições financeiras e também definimos 3 cenários de taxas de juros:

screenhunter_01-sep-04-1230

Com base nestes três cenários, projetamos o quanto a poupança e a aplicação em LFT (Tesouro Direto) irão gerar de receita de juros.

No caso da LFT, consideramos dois casos:

– um no qual o agente de custódia não cobra taxa, de modo que as taxas a serem pagas no primeiro ano perfazem 0,4% (a serem pagas à CBLC);

– outro, no qual o agente de custódia cobra uma taxa de 0,5% ao ano, perfazendo um total de 0,9% de taxas a serem pagas no primeiro ano de investimento.

No caso do Tesouro Direto, os valores apresentados já se encontram líquidos de imposto de renda (alíquota de 17,5%).

screenhunter_02-sep-04-1243

Nas três próximas tabelas podemos ver o quanto rendem o CDB e o fundo DI de três bancos grandes de varejo:

 

– no caso dos CDBs, a taxa em questão é o percentual da taxa CDI paga como remuneração do título;

– no caso dos fundos DI, a taxa apresentada é a taxa de administração cobrada.

Para podermos projetar o rendimento de cada fundo para o período de um ano, consideramos uma rentabilidade bruta de 102% do CDI.

No Banco A , mesmo oferecendo um  CDB com a taxa mais baixa dentre os três bancos, ainda assim, a rentabilidade é maior do que a projetada para o fundo DI em qualquer dos cenários.

screenhunter_03-sep-05-0012

No Banco B, verificamos que a taxa de administração do fundo DI é a mesma do Banco A, mas o CDB paga 90% do CDI, o que aumenta consideravelmente a receita.

screenhunter_01-sep-05-1729

Já o Banco C, tanto o CDB-DI quanto o fundo DI oferecem as melhores taxas dentre os três bancos pesquisados.

screenhunter_02-sep-05-1730

CONCLUSÕES

Pelo que pudemos ver aqui, nos três bancos e nos três cenários, o CDB-DI oferece uma expectativa de retorno maior do que o fundo DI.

Realizando a comparação com a poupança, os fundos DI com taxas de administração mais alta apresentam expectativa de retorno pior. E é possível verificar que a situação piora à medida que as taxas de juros caem.

Na comparação dos CDBs com a poupança, podemos ver que, à exceção do Banco A, a remuneração do CDB é sensivelmente melhor.

Quanto à LFT negociada através do Tesouro Direto, podemos ver que ela apresenta perspectivas de retorno melhores do que o CDB do Banco C, mas somente se o agente de custódia contratado não cobrar pelo seu serviço (de modo que as taxas totais fiquem em 0,4%). Do contrário, o CDB com remuneração de 95% do CDI é a melhor opção. Vale ressaltar, que o investidor não deve se esquecer de considerar o custo de se transferir seu dinheiro para o agente de custódia.

Agora, se você já possui investimentos significativos, vale a pena verificar se o seu banco não oferece taxas melhores por conta de seu relacionamento bancário. Alguns bancos chegam a pagar taxas significativamente melhores aos investidores que já tenham aplicações significativas. Assim, há casos em que é possível obter taxa de 100% do CDI na aplicação de R$ 10 mil. No caso de fundos, muitas vezes compensa ao investidor resgatar seus recursos e  investí-los novamente em um fundo com taxa de administração menor, mesmo que pague imposto de renda antecipadamente. No longo prazo, a menor taxa de administração compensará e muito esta troca.

Para se ter uma idéia, podemos ver na tabela seguinte, quais seriam os rendimentos com estas novas taxas.

screenhunter_03-sep-05-1834

Observe que estas taxas tendem a oferecer rendimentos superiores aos da LFT. No entanto, o CDB, neste exemplo, ainda oferece um melhor retorno.

Cabe ainda uma observação adicional. A análise que fizemos aqui não significa que o Banco C é o que oferece sempre as melhores taxas para investimento, pois para valores e prazos diferentes, as taxas se alteram de forma significativa e  um outro banco pode oferecer taxas mais atrativas.