Pergunta: Eu não tenho dividas, mas não tenho uma casa. Gostaria de ser orientada para chegar lá o mais rápido possível aproveitando melhor meu salário.

Resposta:

A compra de uma casa é sempre uma decisão difícil. Como o valor costuma ser bastante elevado, em geral, as pessoas a adquirem através de um financiamento bancário de longo prazo (de 10 a 30 anos). O problema aqui é que a pessoa passa a ter uma dívida elevada por muito tempo.

Além disto, a compra do imóvel envolve também outros gastos “pesados” como reforma, compra de móveis, taxas de cartório etc. Já na venda, há gastos com o imposto de renda e a comissão de corretagem. Sendo assim, vale a pena comprar uma casa para morar nela por bastante tempo. Se for comprar para mudar logo em seguida, pode-se perder bastante dinheiro com estes gastos mencionados.

Outro ponto importante é avaliar o potencial de valorização ou desvalorização do imóvel em sua decisão. Se sua percepção é que o imóvel pretendido pode vir a valorizar muito nos próximos meses/anos, talvez seja interessante financiar sua compra. Se sua percepção é que o preço não será muito maior no futuro, provavelmente a melhor decisão seja juntar mais dinheiro para que não precise tomar muito dinheiro emprestado.

Outro ponto relevante está relacionado a como você enxerga o seu futuro. Se você não está em um relacionamento estável (ou não se vê no futuro com o atual parceiro) ou pretende morar em outra vizinhança, até mesmo em outra cidade ou país, o melhor é juntar dinheiro e comprar uma casa quando estiver plenamente estabelecida em um local. Lembre-se que ter dinheiro “na mão” facilita sua mobilidade e lhe permite tomar melhores decisões.

Vale lembrar que ao financiar um imóvel por 30 anos à taxa de juros atual, ao final do período você terá pago só de juros, taxas e seguro o equivalente a duas vezes o valor financiado.